quinta-feira, 9 de Julho de 2009

Acidentes aéreos que marcaram a História Em 73, 123 pessoas morreram no pouso de emergência de um voo da Varig em Paris. Em 2006, um jatinho derrubo

Julho de 1973. Na mesma rota Rio de Janeiro-Paris, 123 pessoas morreram no pouso de emergência de um voo da Varig no Aeroporto de Orly durante um incêndio a bordo, 11 pessoas sobreviveram.

Em território brasileiro, os piores acidentes da nossa aviação foram nos últimos anos. Em setembro de 2006, o choque com um jatinho Legacy derrubou um Boeing-737 da Gol em Mato Grosso. Os 154 ocupantes do Boeing morreram.

Menos de dez meses depois, um Airbus A-320 da TAM saiu da pista durante a aterrissagem no Aeroporto de Congonhas, em São Paulo: 199 pessoas morreram, 12 delas em terra.

Em acidentes sobre o mar, é difícil localizar os destroços do avião. Em 1979, um cargueiro da Varig desapareceu no Oceano Pacífico, meia hora depois de decolar de Tóquio, no Japão, rumo ao Rio de Janeiro. A bordo, havia cinco tripulantes e obras de arte avaliadas em mais de US$ 1 milhão.

Os pousos sobre a água são raros. Em janeiro passado, o piloto de um Airbus A-320 da U.S. Airways conseguiu descer no Rio Hudson, em Nova York, com os motores danificados pelo choque com aves.

O acidente mais grave já registrado durante um voo aconteceu no Japão em agosto de 1985: 524 pessoas morreram na queda de um Boeing-747 da Japan Airlines, que ia de Tóquio para Osaka. Quatro passageiros sobreviveram.

Sem comentários:

Enviar um comentário

Acidentes aéreos mais graves na última década

A relação dos acidentes aéreos mais graves desde 1997 é a seguinte


1997

5 de agosto.- Um Boeing 747 da sul-coreana Korean Airlines cai perto do aeroporto da ilha de Guam (EUA), no Pacífico Sul, causando a morte de 227 das 254 pessoas a bordo.

26 de setembro.- Morrem os 234 ocupantes de um Airbus A300 da Garuda Indonesia, que se chocou pouco antes de aterrissar no aeroporto de Medan (Sumatra), devido à falta de visibilidade pela fumaça de queimadas florestais.

1998

16 de fevereiro.- Um Airbus 300-600 da taiuanesa China Airlines cai sobre casas junto ao aeroporto de Taipé (Taiwan) causando a morte de 203 pessoas, delas sete em terra.

2 de setembro.- Morrem os 229 ocupantes de um MD-11 da Swissair, que caiu no Atlântico quando tentava fazer uma aterrissagem de emergência em Halifax (costa leste do Canadá), após um incêndio a bordo.

199931 de outubro.- Morrem os 217 ocupantes de um Boeing 767 da companhia aérea egípcia EgyptAir, que caiu nas águas do Atlântico, em frente a Massachusetts (EUA), minutos após decolar do aeroporto John F. Kennedy de Nova York em direção ao Cairo.
200112 de novembro.- Morrem as 255 pessoas a bordo do Airbus-300 da American Airlines que caiu no bairro residencial nova-iorquino de Rockaway, no distrito do Queens, minutos após decolar do aeroporto JFK rumo a Santo Domingo. Foi um novo trauma na cidade apenas dois meses depois dos atentados do 11 de Setembro.
200225 maio.- Outro Boeing 747-200 da taiuanesa China Airlines, no qual viajavam 225 pessoas, cai no mar pouco após decolar de Taipé com destino a Hong Kong. Aparentemente, o avião se desintegrou no ar e seus restos foram achados em um raio de 80 quilômetros.
200319 fevereiro.- Morrem os 302 ocupantes de um avião militar iraniano que caiu no sul do país. No Antonov de fabricação russa, que fazia um vôo doméstico entre as cidades de Zahedan e Kerman, viajavam soldados da Guarda Revolucionária Islâmica.
200629 setembro.- Um Boeing colide em pleno vôo com um jato particular Legacy e cai sobre a floresta amazônica no norte do Mato Grosso, matando todas as 154 pessoas a bordo.
2007

17 julho.- Pelo menos 200 pessoas morreram na explosão de um avião da TAM no aeroporto de Congonhas, em São Paulo (Brasil). O avião, com 176 ocupantes, não conseguiu frear ao pousar, saiu da pista, atravessou a avenida em frente e acabou explodindo ao se chocar contra um depósito da própria TAM.

Tabela

Tabela

Causas de acidentes aéreos


De todos os acidentes,
27,73%ocorreram durante o voo, como aconteceu com o da Air France. A maior parte dos acidentes,50,39%, no entanto, ocorreu no pouso.


Momento dos acidentes aéreos

Durante o pouso

50,39%

Durante o voo

27,73%

Durante a decolagem

20,96%

Durante o taxiamento

0,64%

Durante o estacionamento

0,28%

Fonte: Escritório de Registros de Acidentes Aéreos


A maioria dos acidentes aéreos ocorre a menos de 10 quilômetros do aeroporto:53,89%. Aviões caíram no mar, como no caso do acidente do voo 447, em9,51%dos casos.


Local dos acidentes aéreos

Menos de 10 km do aeroporto

53,89%

Em planície

15,96%

Em montanhas

10,44%

No mar

9,51%

Na cidade

1,17%

No deserto

0,44%

Em terreno desconhecido

8,59

Tabela de mortes

Mortes

Data

Local

Companhia

Avião

583

27/3/1977

Tenerife (Espanha)

PanAm/KLM

B747

520

12/08/1985

Mt. Osutaka, Japão

Japan Air Line

B747

349

12/11/1996

Nova Délhi (Índia)

Saudi/Kazastan

B747/ Il76

346

03/03/1974

Bois d' Ermenonville (França)

Turkish Airlines

DC10

329

23/06/1985

Oceano Atlântico (Irlanda)

Air Índia

B747

301

19/08/1980

Riad (Arábia Saudita)

Saudi Arabian Airlines

L1011

290

03/07/1988

Golfo Pérsico

Iran Air

A300

275

19/02/2003

Shahdad (Irã)

Guarda Revolucionária do Irã

Il-76MD

273

25/05/1979

Chicago

American Airlines

DC10

270

21/12/1988

Lockerbie (Escócia)

Pan American World Airways

B747

Países com maior taxa de acidentes

Classificação dos Países Com Maior Taxa de Acidentes Fatais (por 100 mil trabalhadores)

França constatou "defeitos" em avião que caiu no Índico

Paris, 30 jun (EFE).- O secretário de Estado de Transportes francês, Dominique Bussereau, disse hoje que a Direção Geral de Aviação Civil (DGAC) da França tinha constatado "um certo número de defeitos" no avião iemenita que caiu no oceano Índico em frente à costa da ilhas Comores com 153 pessoas a bordo.

O aparelho, da companhia Yemenia Airways, "tinha passado por um controle da DGAC na França em 2007 e foi constatado um certo número de defeitos", disse o funcionário francês em entrevista à emissora de TV "i-Télé".

A partir de então, o aparelho, um Airbus A310-300, não voltou a voar "em nosso país", acrescentou Bussereau.

A Yemenia Airways usava o aparelho desde outubro de 1999, com 51.900 horas de voo acumuladas, segundo um comunicado divulgado pela Airbus.

A Airbus disse também que vai fornecer toda a ajuda necessária às autoridades e especialistas do Escritório de Investigação e Análise (BEA) da França, encarregados de esclarecer o acidente.



A330 é um dos aviões mais modernos e seguros do mundo.

Lançado em 1995, o A330 é o mais recente elemento da família Airbus e um dos mais conceituados para viagens de médio e longo curso.


Com capacidade para 253 passageiros e para voar 12.500 kms, o Airbus A330-200 é descrito como "seguro", "ultra-moderno", "topo de gama", com um padrão de segurança impecável, nas palavras do especialista em aviação Kieran Daly, à CNN.

Actualmente voam 600 destes aparelhos, ao serviço de 82 companhias aéreas, e a Airbus tem já 300 novas encomendas.


América Latina soma mais acidentes aéreos que Europa.

A taxa de acidentes aéreos no mundo no ano passado foi a maior pelo menos desde 2005. Na região da América Latina e Caribe, ela chega a ser cinco vezes superior à da Europa.Esse tipo de estatística deve servir de alerta para profissionais e órgãos da aviação, mas, no campo das probabilidades, não tem por que ser motivo de tanta preocupação dos passageiros, segundo especialistas.A média mundial em 2008 foi de 0,81 acidente aéreo a cada milhão de decolagens, segundo um relatório da Iata (Associação Internacional de Transporte Aéreo). No ano anterior, tinha sido de 0,75 por milhão.